Arquivo mensais:julho 2016

2ª Convocatória do Projeto Mídia dos Povos

A Associação Mundial de Rádios Comunitárias (AMARC Brasil) convida integrantes de povos tradicionais da Amazônia e coletivos de mídias comunitárias e livres de todo o país a se inscreverem para o ciclo de encontros do projeto Mídia dos Povos, que estimula a apropriação tecnológica e mobilização midiática na Amazônia. Os encontros acontecerão entre 2016 e 2017 em diferentes regiões da Amazônia brasileira e não brasileira. Serão divulgadas convocatórias para cada um dos encontros. Os selecionados terão transporte, alimentação e hospedagem garantidos.

A única condição é propor uma oficina/ e/ou roda de conversa sobre algum conhecimento, técnica e/ou história que queira compartilhar. Os candidatos devem ser originários de uma comunidade tradicional (quilombolas, indígena, ribeirinho, etc) e/ou integrar coletivos/grupos de mídia comunitária, livre, alternativa, etc. Cabe ressaltar que a seleção buscará garantir a equidade de gênero nos encontros.

Estão sendo disponibilizadas 14 vagas para participantes da região onde o encontro irá acontecer, 4 vagas para participantes de outras regiões da Amazônia brasileira e não brasileira e 2 vagas para participantes de outras regiões do Brasil. Apesar de ser aberto para novos candidatos, terão preferência aqueles que já participaram de um encontro anterior.

Para se inscrever basta preencher o seguinte formulário: http://goo.gl/forms/K9Om3937m9, explicando porque gostaria de participar do evento e que conhecimento gostaria de compartilhar com os demais participantes, oferecendo alguma atividade de troca. Este conhecimento a ser compartilhado pode abarcar qualquer área ou tema, como agricultura, arte, música, tecnologias locais, artesanato, história, conhecimento ancestral, alimentação, dentre outros.


Software Livre para Mídias livres e Comunitárias em Alter do Chão

O segundo encontro do projeto Mídia dos Povos irá acontecer entre os dias 13 e 17 de setembro em Alter do Chão, no Pará. Localizado ao longo do rio Tapajós, este distrito está há 37km do centro de Santarém. O balneário é cercado de praias de água doce que servem como porto de saída e entrada em diversas comunidades ribeirinhas localizadas ao longo do rio, como por exemplo a Floresta Nacional dos Tapajós (Flona) e unidades de conservação como a Reserva Extrativista Tapajós-Arapiuns. No mês de setembro se comemora a tradição folclórica do Çairé que mistura elementos religiosos e profanos.

O tema deste encontro será o uso de software livre para a produção midiática. Partindo da ideia de que todo conhecimento é livre e deve ser compartilhado, software livres são programas abertos e gratuitos, cuja modificação pode ser feita por qualquer usuário interessado pois mantém aberto seu código-fonte. Além de garantir o acesso mais democrático dos programas, o uso desse tipo de software garante que o usuário não precise pedir qualquer permissão ou se comprometer com licenças proprietárias restritivas.

O projeto Mídia dos Povos entende que estimular e garantir cada vez mais o uso desse tipo de software junto às comunidades e projetos de mídia alternativos, comunitários e livres, permite maior liberdade e autonomia aos mesmos. Para isso, contaremos com a parceria do Coletivo Puraquê, que trabalha com ativismo e inclusão digital na região ao redor de Santarém.

O Projeto

O projeto Mídia dos Povos vem com o objetivo de dar continuidade a uma série de encontros e oficinas promovidos em 2015 por dois projetos da Associação Mundial de Rádios Comunitárias (AMARC Brasil) junto de parceiros na Amazônia, no intuito de fortalecer e garantir o direito à comunicação no país.

Nossa aposta para o período 2016-2017 consiste em impulsionar a emergente rede de mídia transamazônica em direção a um diálogo mais intenso e uma auto-organização. A proposta é estimular o intercâmbio e proporcionar uma dinâmica de trocas em torno de conhecimentos tradicionais e midiáticos que se sobressaem em cada local, identificado-os junto com os próprios atores dos povos amazônicos.

Esse processo de aprendizagem mútua e de produções colaborativas consistirá em encontros presenciais na amazônia brasileira e não-brasileira. A proposta temática, desenvolvida em parceria com diferentes ativistas e coletivos, trará tanto a aprendizagem técnica como estimulará a pesquisa e o intercâmbio entre os diferentes saberes locais do fazer midiático na floresta, contribuindo para uma melhor comunicação transregional da população.

Prazo das Inscrições: 18 de julho a 7 de agosto de 2016

Divulgação dos selecionados: 15 de agosto de 2016

Contato: midiadospovosamazonia@gmail.com